Site para corretora de seguros: um guia rápido com tudo o que você precisa saber sobre a criação de sites

Mais do que uma necessidade, ter um site hoje em dia é a garantia de que pelo menos sua corretora de seguros será encontrada caso alguém busque informações ou esteja pesquisando por um produto ou serviço que ela oferece.

Além de não passar uma imagem de credibilidade, podemos dizer sem exagero que se a sua corretora não está na internet, ela não existe para uma grande parcela de potenciais consumidores. E isso não é nada bom para qualquer tipo de negócio.

Claro que as redes sociais ajudam e muito na divulgação de marca, mas como muitos já perceberam, elas são um terreno alugado, e nada como ter um espaço para chamar de seu, onde você terá total liberdade para deixá-lo como quiser.

Com um pequeno valor mensal é possível contratar serviços onde você mesmo pode construir o site da sua corretora de seguros ou, pagando um pouco mais, contar com a ajuda de uma empresa ou profissional especializado que fará isso.

Neste artigo, vamos falar de algumas coisas que você precisa saber sobre a criação de sites e como colocar a sua corretora de seguros de uma vez por todas na era do marketing digital.

Para facilitar o entendimento do assunto, dividimos este artigo em 4 passos, mas antes, é bom esclarecermos alguns pontos sobre esse tema.

As principais diferenças entre site e blog

Como ainda existe um pouco de confusão entre esses dois termos, primeiro, vamos esclarecer as diferenças entre “site” e “blog”, além de compreender qual o papel de cada um deles em uma estratégia de marketing digital.

O site é como a vitrine da sua empresa, é onde você coloca uma apresentação da sua corretora de seguros, os canais de contato disponíveis, os diversos formulários de pedidos de cotação, entre muitas outras coisas.

Ele é constituído quase todo com conteúdo institucional e deve possuir as informações necessárias para que o seu público saiba com quais tipos de seguros sua corretora trabalha, as coberturas que oferecem e para que servem.

Normalmente, o conteúdo do site não é alterado com muita frequência.

Já o blog, é como uma revista virtual. É onde são publicados conteúdos como artigos, listas e infográficos, por exemplo. Ao contrário do site, o blog é alterado continuamente por conta das novas publicações.

Por permitir uma linguagem mais personalizada e favorecer o engajamento através de comentários e compartilhamentos, os blogs já se tornaram um dos principais canais de comunicação de algumas empresas do mercado de seguros.

Enquanto o blog é utilizado para gerar demanda e atrair novos visitantes, o site serve para direcionar esses visitantes para que tomem a ação que desejamos. No caso de uma corretora de seguros, o pedido de cotação seria uma das opções.

Agora, vamos ao primeiro passo na criação de um site que é o registro do domínio.

1. Registrar um domínio

Os domínios mais comuns (e recomendados) possuem terminações .com ou .com.br (versão brasileira), mas existem outras opções de domínios internacionais ou com origem em outros países: .net, .co, .online, .tech, .site, .website.

O mais indicado para corretoras de seguros é registrar domínios .com.br, principalmente por conta da área de atuação ser restrita ao território brasileiro. Mas nada impede que sejam utilizados domínios como .online ou .co, o que pode facilitar na divulgação e memorização da marca.

Antes registrá-lo, é preciso ficar atento às orientações da SUSEP referente a esse assunto para que o público não tenha dúvida em relação a natureza da sua empresa: corretor(a) de seguros ou seguradora.

Basicamente, a recomendação da SUSEP é para que as corretoras de seguros incluam o termo “corretoradeseguros” ou “corretagemdeseguros” (ex. 1234corretoradeseguros.com.br) e não utilizem a palavra “seguros” isoladamente no domínio (ex. 1234seguros.com.br), que fica reservada para as seguradoras.

O registro de domínios brasileiros (com terminação .br) pode ser feito diretamente no site do registro.br, bastando apenas completar o cadastro, verificar a disponibilidade do nome escolhido e efetuar o pagamento.

Para domínios internacionais (com terminação .com, .net, .online, etc), o registro pode ser feito através de sites como o GoDaddy ou em conjunto com a contratação do serviço de hospedagem, que veremos a seguir.

Em ambos os casos, no geral, os custos são a partir de R$40 por ano para cada nome de domínio registrado.

Apesar de serem gratuitas, não é recomendada a utilização de plataformas como o Blogspot.com, WordPress.com ou Wix.com para o registro do domínio. Além de não apresentar profissionalismo e dificultar a memorização da marca, toda a autoridade do seu site será transferida automaticamente para a plataforma.

2. Hospedar o site

Para publicar qualquer conteúdo no seu site será preciso contratar um serviço de hospedagem de sites. Todos os arquivos ficarão hospedados em um servidor e serão acessados por meio do domínio escolhido.

Atualmente, existem diversos planos de hospedagem e alguns dos fatores que você deverá levar em conta na hora da contratação é a quantidade de visitas previstas inicialmente para o site e o volume de e-mails que a sua corretora de seguros possui armazenado.

Os tipos de hospedagem são os seguintes:

Hospedagem Compartilhada: Mais comum, é a hospedagem onde o seu site compartilha o servidor com outros sites. Com os menores preços do mercado, é indicada somente para sites que possuem poucas visitas ou que foram publicados recentemente por conta do baixo desempenho.

Hospedagem dedicada: O seu site fica hospedado em um servidor exclusivo. Isso faz com que ele tenha um melhor desempenho, além do aumento no nível de segurança. Possui custos mais elevados e é indicado para sites que possuem um alto volume no tráfego de visitantes.

VPS: É a sigla para Virtual Private Server, ou seja, Servidor Virtual Privado. Os usuários compartilham um mesmo servidor, mas cada um deles fica isolado um do outro, afetando menos o desempenho do site. Tem custo inferior ao de uma hospedagem dedicada e possui recursos semelhantes.

Com relação ao e-mail, basta considerar a capacidade de armazenamento individual de cada usuário. Em geral, para pequenas corretoras de seguros, 5GB já é um bom tamanho.

Escolhido o domínio e o tipo de hospedagem, vamos partir para a construção do site, que é o nosso próximo passo.

3. Escolher um construtor de Site

A maioria dos serviços de hospedagem oferecem construtores de sites que em poucos passos te ajuda a colocar ele no ar, sem precisar de muitos conhecimentos técnicos.

Isso facilita bastante, pois esses construtores já carregam automaticamente toda a estrutura necessário para o funcionamento do site, bastando apenas inserir o conteúdo.

Indicamos o WordPress.org, plataforma que utilizamos em todos os projetos da Educa Seguros. Optamos por ela por conta da autonomia que temos quando precisamos alterar qualquer conteúdo nas páginas ou personalizar o layout dos nossos sites e blogs.

Porém, ainda existem outras plataformas gratuitas e pagas como o JoomlaWix e Weebly.

É nesta etapa também onde você precisará planejar e elaborar o conteúdo das páginas do seu site, os formulários de contato e pedidos de cotação, além dos artigos iniciais do blog.

4. Escolher um tema (template)

Além do conteúdo, é preciso pensar também no layout, ou seja, em como esse conteúdo será apresentado ao visitante. A escolha de um tema (template) ou modelo de site adequado fará toda a diferença na imagem que a sua empresa irá passar para o público.

O WordPress disponibiliza um banco de temas gratuitos, mas existem também os templates pagos, que oferecem recursos adicionais, úteis caso seja preciso inserir determinados tipos de conteúdo mais elaborados no seu site ou blog.

Muitas das escolhas de cores e layout podem até se dá por meio de preferências pessoais, mas um item que não deve ser deixado de lado é a reponsividade.

O seu site deve ser um site responsivo, ou seja, ele precisa abrir adequadamente independente do dispositivo que o usuário esteja utilizando para acessá-lo: computador, notebook, tablet ou smartphone.

Caso o seu site apresente dificuldades para carregar em determinados dispositivos, isso poderá ter como consequência a perda de visitantes e até mesmo prejudicar o seu posicionamento em buscadores como Google e Bing.

Fazer por conta própria ou contratar um profissional?

Apesar das facilidades e mesmo não exigindo muitos conhecimentos técnicos inicialmente, é importante considerar que será preciso dedicar algumas horas ou até mesmo dias no planejamento, construção e manutenção do site da sua corretora de seguros.

Assim, a melhor opção sempre é contar com a ajuda de um profissional ou empresa especializada no assunto, principalmente por conta do suporte dado desde a construção até a manutenção do site e atualizações.

Se você tiver algum tempo disponível ou se a sua corretora de seguros possuir uma pessoa dedicada exclusivamente para esse fim, opte por empresas ou serviços que, após a construção do site, permitam que você mesmo faça alterações no conteúdo ou publique novos artigos no blog.

Essa autonomia na gestão do conteúdo é importante para lhe dar agilidade na hora de colocar em prática alguma ação de marketing, pois você não dependerá de um terceiro para a execução de determinadas tarefas.

Conclusão

Seja por conta própria ou com a ajuda de um profissional, agora que você já entendeu como funciona a criação de sites, não tem mais desculpas para não colocar no ar o seu.

Procure deixar o site com a cara da sua corretora de seguros e não se preocupe se no início ele não possuir tudo que você gostaria, aos poucos, é possível acrescentar novos conteúdos e ir alterando o que for preciso.

Por fim, essa é só uma das primeiras etapas que devem fazer parte da estratégia de marketing digital de uma corretora de seguros, então, mãos à obra.

Por mais que no início pareça complicado, isso não é nada que com um pouco de dedicação e pesquisa não seja possível aprender.

Ficou com alguma dúvida em relação ao que falamos aqui?

Deixe um comentário com a sua pergunta ou fale um pouco sobre a sua experiência e os resultados que tem alcançado com o site da sua corretora de seguros.

Olá,

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Quer receber mais conteúdos interessantes como esses?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por e-mail!

Uma iniciativa:

© 2017 Educa Seguros | Política de Privacidade