Como vender melhor o seguro de riscos cibernéticos? Entenda essa tendência no mercado, sua importância e como conscientizar seu possível cliente.

Ataques cibernéticos são cada vez mais frequentes e prejudiciais para as empresas de qualquer porte ou segmento. Mesmo que a empresa estabeleça todos os critérios de segurança necessários, ainda assim está suscetível a ataques e roubos de dados. Dessa forma, o seguro de riscos cibernéticos é a única forma de evitar prejuízos avassaladores para os clientes empresariais da sua corretora de seguros.

Muitas empresas já estão cientes disso, principalmente depois da sanção da nova Lei Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigor a partir de agosto de 2020, e exigirá consentimento específico para coleta e tratamentos de dados pessoais, gerando multas pesadas para empresas que descumprirem suas regras.

Nesse contexto, o corretor de seguros especializado no assunto tem grandes chances no mercado, pois é uma área em ascensão e com ampla demanda por profissionais qualificados. É fundamental que o corretor saiba esclarecer as principais dúvidas das empresas sobre o assunto e orientar seus gestores sobre a importância de contar com esse tipo de proteção.

Se você quer saber como abordar seus clientes empresariais para conscientizá-los sobre a importância do seguro de riscos cibernéticos, continue a leitura.

Seguro de riscos cibernéticos: argumentos infalíveis para venda

O corretor que deseja incluir em sua carteira de produtos o seguro contra hackers pode abordar três pontos importantes para ajudar na conscientização dos tomadores de decisão e agilizar o processo de venda.

1. Os ataques cibernéticos irão aumentar

Ao abordar a importância de adquirir o seguro de riscos cibernéticos com seu potencial cliente, lembre-o de que a conexão e a troca de dados online irão aumentar cada vez mais, o que deixa toda pessoa, seja ela física ou jurídica, ainda mais exposta a ataques e roubos de dados.

A quantidade de dispositivos conectados em 2017 era de 27 bilhões, um número que passará para cerca de 125 bilhões em 2030, potencializando o compartilhamento de informações e, consequentemente, os riscos de perda ou roubo de dados na rede.

Alerte seus clientes que os ciberataques de grande escala, como o ataque malware WannaCry, custam muito caro para as empresas e superam os prejuízos provocados em desastres naturais. Sendo assim, contar com um seguro que irá restituir a empresa em caso de perda ou roubo de dados, de acordo com as cláusulas previstas em contrato, é muito mais seguro.

2. Proteção contra prejuízos causados por multas da nova LGPD

A nova Lei Geral de Proteção de Dados faz uma série de exigências para garantir a segurança dos dados pessoais coletados na rede. As empresas que descumprirem suas diretrizes terão que arcar com multas pesadas, que podem chegar a até R$ 50 milhões.

As empresas que contam com o seguro de riscos cibernéticos não terão esse problema, pois as apólices desse seguro podem cobrir diversos tipos de custos relacionados a ciberataques, como:

  • Custos de defesa.
  • Custos relacionados a uma investigação administrativa.
  • Despesas com peritos forenses.
  • Pagamento de indenizações aos clientes prejudicados, caso a empresa seja responsabilizada.
  • Pagamento de resgate em caso de sequestro de dados.
  • Despesas para restauração de dados.
  • Custo com notificação e monitoramento de dados de clientes afetados.
  • Assessoria de imprensa para agir na recuperação da reputação da empresa no mercado.
  • Lucros cessantes devido a uma interrupção de rede.

3. O corretor de seguros precisa estar antenado

Um corretor de seguros que busca crescimento, independente do cenário econômico do país, está por dentro das maiores tendências e sabe identificar oportunidades na venda de seguros. O segmento de cibersegurança é de extrema importância para o atual cenário e irá ganhar cada vez mais força econômica.

Com o passar do tempo, a tendência é que seguradoras, corretores de seguros e empresas se aproximem para encontrar a melhor maneira de ajustar os processos e melhorar as condições de segurança e coberturas oferecidas.

O corretor de seguros que está antenado com o mercado consegue facilitar o entendimento do seu cliente sobre a importância do seguro de riscos cibernéticos e aumentar o faturamento da sua corretora com a venda desse tipo de apólice.

O corretor deve estar preparado para dar mais informações sobre esse tipo de seguro ao seu potencial cliente. Entenda tudo que os corretores de seguros precisam saber sobre as leis de proteção de dados GDPR e LGPD!

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Inscreva-se em nossa newsletter

Entre para a nossa lista e receba novos conteúdos em primeira mão

Categorias

  • ...

Produtos

  • ...

Materiais

  • ...

Soluções

  • ...

Institucional

  • ...

Uma iniciativa da

© 2019 Educa Seguros | Política de Privacidade

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Quer receber mais conteúdos interessantes como esses?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por e-mail!